A educação ambiental permite a transmissão de conhecimentos sobre o ambiente. Desta forma, cada indivíduo tem a possibilidade de formar um pensamento crítico face às várias problemáticas ambientais.

Este ramo da educação tem um papel importante para a preservação ambiental e para a construção de uma sociedade mais sustentável.

O que está a ser feito em Portugal?

Atualmente, está em voga a Estratégia Nacional para a Educação Ambiental 2020. Este programa é um trabalho conjunto dos ministérios do Ambiente e da Educação.

Os principais objetivos deste programa passam por implementar uma educação ambiental “mais transversal, aberta e participada”. Para isso, há um financiamento a associações, organizações e projetos que permitam que se atinjam os objetivos.

Do mesmo lado está a Associação Portuguesa de Educação Ambiental (ASPEA). Esta desenvolve a educação ambiental no ensino formal e não-formal. Conferências, formações, desenvolvimento de recursos pedagógicos ou programas de verão são algumas das ações desta associação.

No entanto, o destaque vai para a ABAE-Associação Bandeira Azul da Europa. Esta é uma associação não governamental de ambiente, sem fins lucrativos, que trabalha no âmbito da educação para a sustentabilidade e para as boas práticas ambientais.

Assim, desenvolve 5 programas: Eco-escolas, Jovem repórter para o Ambiente, Eco XXI, Green Key e Bandeira Azul.

“Eco-escolas”

Programa internacional, visa consciencializar as crianças e os jovens para uma comunidade e escola mais sustentáveis.

A implementação do programa pressupõe uma metodologia de 7 passos, de entre os quais:

  • Auditoria Ambiental: análise do estado ambiental da escola de forma progressiva e sistemática
  • Construção de um plano de ação: planificação de atividades dentro dos temas Resíduos Água e Energia+ tema definido para esse ano letivo + tema escolhido pela escola
  • Eco-código: elaboração, por parte dos alunos, de um código de conduta ambiental a adotar pela escola.

(Os restantes podem ser consultados aqui)

Achas que é um programa para a tua escola? Então, fala com um professor e incentiva-o a inscrever-se . Ele será responsável por integrar a tua escola neste programa de educação ambiental.

“Eco-universidades”

Seguindo uma linha semelhante ao “Eco-Escolas”, o Eco-Universidades foca-se nos estabelecimentos de ensino superior. Neste caso, também há possibilidade de um aluno ser coordenador, desde que assegure a continuidade do programa.

Escola Superior Agrária de Beja, Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Coimbra e Escola Superior de Tecnologia da Saúde do Instituto Politécnico do Porto, são algumas das instituições que participam no programa e já foram galardoadas.

Educação ambiental nas escolas

Festa da Eco-escolas em Mafra – Foto da Câmara Municipal de Mafra

“Jovem repórter para o ambiente”

Para jovens entre os 11 e 21 anos, o programa incentiva os participantes a trabalharem como jornalistas das áreas de ambiente e/ou sustentabilidade.

O trabalho desenvolve-se em 4 etapas: investigação, proposta de soluções, reportagem e disseminação.

Para além disso, sendo um projeto internacional, as vantagens em participar são ainda mais numerosas:

  • Alargar conhecimentos no domínio de ambiente;
  • Desenvolver competências nas áreas da comunicação, cidadania, proatividade, trabalho em equipa, análise crítica, responsabilidade e liderança;
  • Participar em desafios, concursos, atividades;
  • Intercâmbio com jovens de outras regiões em Portugal e de outros 35 países.

Descobre tudo aqui.

Jornalista/ Repórter para o ambiente

“Eco XXI”

Dirigido para os municípios, o programa desenvolve a educação para a sustentabilidade e a qualidade ambiental.

Então, os municípios que apresentem a implementação de políticas em áreas como Educação Ambiental, conservação da natureza ou mobilidade e cumpram objetivos específicos podem obter a distinção de eco-municípios.

No ano do 2018, o destaque foi para municípios como Guimarães, Águeda, Alfândega da Fé, Loulé, Loures, Lousã e Pombal.

“Green Key”

Focado no turismo, o Green Key pretende distinguir os estabelecimentos e empresas que promovam o turismo sustentável.

Desta forma, cada participante tem a responsabilidade de consciencializar através da educação ambiental, reduzir o impacto das suas atividades, entre outros.

Podem candidatar-se estabelecimentos turísticos, alojamento local, parques de campismo e restaurantes.

 

———————————————————————————————————————————————–

Queres ler mais artigos que preparamos para ti?

Porquê tirar um MBA?

2019-05-14T18:43:06+01:00By |Ambiente|

Leave A Comment

+ Subscreve já!

Subscreve já!