Porquê fazer parte do movimento associativo?

    Provavelmente já ouviste falar de associativismo ou, melhor, de associações e do seu trabalho. Legalmente, as associações são a união de duas ou mais pessoas que se comprometem a trabalhar em torno de um ou mais objetivos comuns e que não visam a obtenção de lucro. Estas entidades organizam-se e cooperam para ajudar a desenvolver a sociedade civil. Porém, o movimento associativo é capaz de proporcionar inúmeras experiências, que ajudam no desenvolvimento de cada um, tanto pessoal como profissional.

    Associativismo benéfico para jovens

    Imagem: Secretaria Regional da Educação da Madeira

    Porque é que deves fazer parte do movimento associativo?

    A entrada numa associação ajuda-te a desenvolver muitas capacidades que te vão ser úteis quando entrares no mercado de trabalho. Aqui, saber trabalhar em equipa é crucial e o contacto com pessoas com diversos pontos de vista é uma mais valia para o futuro. Através desse contacto, alargas os teus horizontes culturais, desenvolves a tua capacidade crítica e de argumentação e consegues compreender melhor a realidade que te rodeia, além de que a tua comunicação interpessoal só tem a agradecer.

    No mundo empresarial, o lema “ juntos somos mais fortes” é algo cada vez mais incutido nas mentes dos profissionais e esse é também um dos pilares do associativismo. Assim, trabalhar em torno de um objetivo comum e com pessoas muitas vezes diferentes pode ser um desafio, mas quem percorre os corredores do associativismo consegue adquirir de forma muito eficaz este espírito de trabalho e de convivência.

    Outro dos pontos fundamentais do mundo associativo é que ele é também uma forma de empoderar os jovens, dando-lhes uma voz mais ativa na comunidade. É um movimento que procura a criatividade e o empreendedorismo e a independência, o que permite que muitas vezes surjam ideias brilhantes. Mais do que isso, o mundo das associações permite que certas ideias inspirem outros a trabalhar no mesmo propósito.

    Na procura de emprego, tanto no estrangeiro como em Portugal, a participação no associativismo juvenil e a interação com a comunidade são fatores muito relevantes para um emprego. Tal como para o voluntariado, os recrutadores veem um indivíduo participativo, criativo, com um bom desenvolvimento pessoal e multidisciplinar. Isto destaca-te tanto aos olhos do teu recrutador como do teu empregador.

    Tipos de Associações Juvenis

    • Associações Juvenis

    São associações com mais de 75% de associados com idade igual ou inferior a 30 anos, em que o órgão executivo é constituído por 75% de jovens com idade igual ou inferior a 30 anos.

    • Associações de Estudantes

    São associações de estudantes aquelas que representam os estudantes do respetivo estabelecimento de ensino básico, secundário, superior ou profissional.

    • Federações

    Agrupamentos de associações juvenis e as associações de estudantes resultantes em federações de âmbito setorial, local, regional, nacional ou internacional com fins idênticos ou similares aos seus.

    • Associações equiparadas a Associações Juvenis

    São equiparadas a associações juvenis as organizações de juventude partidárias ou sindicais, as organizações nacionais equiparadas a associações juvenis, desde que reconhecidas pela World Association of Girl Guides and Girl Scouts e pela World Organization of the Scout Movement, nos termos da lei.

    • Grupos Informais de Jovens

    São grupos informais de jovens os grupos que sejam constituídos exclusivamente por jovens com idade igual ou inferior a 30 anos, em número não inferior a cinco elementos, que residam na respetiva Área Metropolitana.

    E o associativismo em Portugal?

    Em Portugal, segundo dados da Confederação Portuguesa das Coletividades de Cultura, Recreio e Desporto, existem mais de 7000 associações juvenis. Por outro lado, nas mais diversas áreas de ação social existem cerca de 3 milhões de associados em território nacional, o que corresponde a quase um terço da população portuguesa envolvida no movimento associativista.

    Após o 25 de abril de 1974 ocorreu um aumento da participação social no movimento associativo, em virtude do abrandamento da pressão social e política em que o país se encontrava submergido.

    Segundo dados do IPDJ os distritos do Porto, Lisboa e Braga são os que apresentam maior número de atividades e associações.

    Crianças também fazem parte do movimento associativo

    Imagem: Câmara Municipal de Gaia

    As associações são entidades que atuam nos mais variados âmbitos da sociedade. Neste parâmetro, podem destacar-se os setores social, político, económico, cultural, recreativo e também desportivo.

    Então, entusiasmado? Deixamos-te abaixo algumas sugestões.

    Sugestões sobre o mundo associativo

     

     “O associativismo é sem qualquer dúvida uma forma estruturante do ser, onde nos aprendemos a moldar e também a superar os desafios, realçando aquilo que se denomina de educação não formal” – Margarida Pereira, JovemCoop

    2018-11-03T21:22:28+05:30 By |Artigo UPrise|

    Leave A Comment